Caribe? Grécia? Polinésia? Descubra lugares onde a cor da água é atração turística

Cientificamente falando, a água é insípida (não tem sabor), inodora (não tem cheiro) e incolor (não tem cor). Turisticamente falando, existem águas de todas as cores do arco-íris em rios, lagos, mares e oceanos espalhados pelos quatro cantos do mundo. Ou seja, a cor da água é uma atração turística capaz de fazer muita gente atravessar todo o globo terrestre apenas para vê-la, fotografá-la, colocar a mão, molhar o pezinho e, se possível, mergulhar de cabeça! Caribe, Grécia e as ilhas do Pacífico Sul são os destinos mais procurados pelos viajantes que buscam aquelas cores de água que a gente sempre jura que são apenas fruto de programas de edição de imagem, e não paisagens reais ao alcance de uma passagem aérea.

Se a cor da água é incrível, a melhor parte é que a Terra tem muita, mas muita água: aproximadamente 70% do planeta é coberto pelos oceanos, sem contar o que está em rios, lagos, lençóis freáticos e geleiras. Os fatores que proporcionam a diversidade tão grande de cores que vemos nas fotos de viagens são a profundidade da água – quanto mais fundo, mais a luz se dispersa -, o que há no fundo – areia clara, por exemplo, reflete mais luz -, da ação do clima – chuvas, ventos e correntes agitam o fundo e podem torná-la mais escura -, e da presença de algas, substâncias (como minérios) ou micro-organismos que modifiquem o modo como a luz se distribui pelo líquido.

É claro que, quando se fala em cor de água, a primeira coisa que vem à cabeça é o mar. Alguns lugares famosos por suas praias fluorescentes são as ilhas do Caribe e da Oceania. As primeiras são mais populares entre os brasileiros pelo óbvio fator da localização, na América Central. Mas é na Oceania e no sudeste asiático que, sem dúvidas, estão os mares mais inacreditáveis do planeta. Destaque para a Polinésia Francesa, Fiji e Tailândia. E a beleza não se limita aos paraísos tropicais. Há cores incríveis também na Austrália e na Nova Zelândia, seja em praias, seja em rios ou lagos.

Se no Caribe e na Oceania, a água é trabalhada em tons de verde e azul brilhantes e claros, na Europa e imediações a paleta se desloca para as cores de água mais escuras e profundas, embora não menos belas. Nem é preciso falar das praias da Grécia, que são unanimidade ao arrancar suspiros de todos os viajantes e, talvez por isso mesmo, estejam normalmente superlotadas.

Mas os turistas já estão descobrindo outros recantos, como o econômico litoral da Turquia e de Montenegro, sem falar no ‘hot spot’ do verão europeu dos últimos cinco anos: a Croácia. E é neste país da antiga Iugoslávia que está uma das maiores concentrações de ‘água colorida’ do planeta: o imperdível parque dos Lagos Plitvice.

DEIXE UMA RESPOSTA