Governo e deputados discutem medidas para promover melhorias na qualidade de vida de idosos

A estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa do Governo Federal foi discutida em audiência pública na Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara (6/6). A estratégia, estabelecida por decreto e lançada em abril, sugere uma série de metas aos municípios brasileiros direcionadas à melhoria da qualidade de vida das pessoas idosas e na promoção do envelhecimento ativo. O foco principal são as pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo.

Segundo levantamento da Pesquisa Nacional de Amostra dos Municípios em 2017, o Brasil tem 30 milhões de pessoas idosas e a tendência é que esse número cresça proporcionalmente ao aumento da população. O representante no Ministério do Desenvolvimento Social no debate, Leonardo Rezende, explicou que é preciso preparar as cidades para atenderem essa população específica.

“A proporção da população que se torna mais idosa faz com que surjam outras demandas, das quais muitas cidades não estão preparadas para essa demanda, estamos falando de mobilidade urbana, tecnologia, educação.”

Leonardo Rezende explicou que a estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa é uma parceria entre os Ministérios da Saúde, dos Direitos Humanos, da Educação e das Cidades e também a Organização Pan-americana de Saúde. Além disso, segue os princípios do Guia Global de cidades amigáveis à Pessoa Idosa do Organização Mundial da Saúde. A representante do Ministério da Saúde, Maria Cristina Hoffmann, ressaltou que é preciso adequar projetos ao foco no cuidado da pessoa idosa.

“Significa que nós precisamos pensar em um acompanhamento dessa pessoa, na qualidade de vida e a gente já viu que isso está relacionado com a autonomia e independência da pessoa. (…) sugerimos e orientamos o município que elaborem um projeto onde ele vai pensar a construção de uma linha de cuidado”.

A deputada Leandre (PV-PR), autora do requerimento da Audiência Pública, demostrou preocupação sobre a durabilidade dessas ações.

“Eu acredito que o desafio maior que se tem é a gente fazer com que isso continue. A gente tem percebido as políticas terem descontinuidade com a mudança de autoridades. Mudou ministro, muda política; mudou governo, muda política”.

O primeiro município a aderir a Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa foi Ponte Nova, em Minas gerais. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social, hoje já são mais de cem cidades inscritas.

Reportagem – Giovanna Maria
Fonte: Agência Câmara Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA